quarta-feira, 15 de junho de 2011




Amor um Mal que Falta quando Cresce


Aquela fera humana que enriquece
A sua presunçosa tirania
Destas minhas entranhas, onde cria
Amor um mal que falta quando cresce;

Se nela o Céu mostrou (como parece)
Quanto mostrar ao mundo pretendia,
Porque de minha vida se injuria?
Porque de minha morte se enobrece?

Ora, enfim, sublimai vossa vitória,
Senhora, com vencer-me e cativar-me;
Fazei dela no mundo larga história.

Pois, por mais que vos veja atormentar-me,
Já me fico logrando desta glória
De ver que tendes tanta de matar-me.

(Luís Vaz de Camões)

7 comentários:

Ira Buscacio disse...

Déia querida, esses poetas portugueses me torturam com suas maravilhas.
Lindo post!
Bj

mfc disse...

Camões é sempre uma boa escolha!

Álvaro Lins disse...

Excelente escolha:)
Abraço

M.Suhet disse...

Muiiiito bom...
Adoro Camões......

*♡* Jane dos Anjos *☆* disse...

Como sempre, as escolhas dos poemas são maravilhosas, parabéns pela linda escolha... adoruuu seu Blog... bjs
http://artesdosanjos.blogspot.com/

' kaaa, disse...

é de fofinho`*.*

vou seguir , gostava que também segues o meu :$

Pensador disse...

Os sonetos de Camões são maravilhosos.
Beijo!