sábado, 12 de março de 2011

“Às vezes...”



“Às vezes...”
caminhava a beira de um lago e você buscava a floresta.

você queria uma estrada e eu apenas um caminho.
minha alma era de sal, enquanto a sua era de açúcar.
pensava em mim e em nossa casa e eu estava sozinho.
por ti feliz recitava e você nem uma prosa queria.
o dia pra você era uma dádiva, a mim apenas um dia.
...o meu silêncio te irritava e sua voz eu não ouvia.
em seu peito batia o coração e respirava, no meu apenas ardia.
minha vida não valia nada, mesmo assim você a queria.
o que você queria era um nada e eu apenas o motivo....

4 comentários:

Anônimo disse...

Nossa! São assim os opostos que se atraem por um único motivo? O amor?...

Só ele é capaz desse milagre não é?
Só ele é capaz do incompreensivel...

Lindo!

Um abraço amigo!

Coisas de Ana Cristina disse...

Olá Andréia vi seu comentário no meu blog e gostei muito, me despertou a curiosidade para conhecer o seu espaço também e aqui estou! Confesso que também gostei MUITO do que vi! Parabéns! Em especial esse poema, muito massa mesmo! Estou te seguindo, sempre quero passar por aqui! Vou te seguir no twitter se quiser me siga também. É bom porque nos comunicamos melhor e saberei quando postar coisas novas e vice versa. Bjão

DÉIA disse...

É meu amigo o amor é de fazer milagres.Como diz RenatoRusso...

Ainda que eu falasse a língua dos homens.
E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.Essa realmente é verdade...Bjus meu amigo e volta sempre

DÉIA disse...

Oi Ana Cristina tudo bem?Estou muito feliz por vc esta seguindo meu blog,que bom que vc gostou..volte sempre que puder vou te seguir sim no twiter...Bjus